sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Voe atrás do que te faz feliz


Tema: Conto continuado
Por Laura Reis


Também com a letra do pai, uma mensagem que não caberia noutro momento “Meu pequeno, de futuro imenso. Ainda não sabemos o que a vida lhe reserva, mas há uma certeza: estaremos sempre com você, mesmo quando não acreditar nisso. Voe atrás do que te faz feliz. Só assim saberemos que valeu a pena. Te amo. ”

Continuou a limpeza, muito mais leve por dentro e terminou a organização, deixando o livro ali, aberto com a foto, sobre a cama. Tomou um banho, coragem e o último ônibus até a casa dos pais.


“Quero voar”, disse antes mesmo de terminar o abraço de cumprimento. 
Com os olhos marejados e na companhia de quem mais amava, relembrou sua infância atrás dos aviões de brinquedo e ditou que o futuro poderia ser assim: seguir o sol, como aquelas partículas que pairavam nos feixes de luz, sobrevoando os prédios empoeirados que um dia estudou para construir.

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

A fé tá viva e sã...*

Tema: conto continuado
Por: Rosana Tibúrcio

Senta na cama e começa, pela milésima vez, a organizar em sua mente o que dizer ao pai sobre o sonho realizado que não quer mais viver. Como explicar a mudança profissional que decidiu fazer e que, consequentemente, afetará toda a família?

Viveria o seu segundo grande sofrimento; o primeiro foi tudo que viveu antes de entender que não queria mais ser quem era. O segundo seria dizer ao pai sobre essa decisão. E ele sabia que o cansaço diário tinha a ver com não só com o acúmulo de serviço, a ausência de férias, as noites mal dormidas, a raiva contida, tinha a ver com a falta de coragem de expressar sua decisão.

Afinal, o sacrifício de seu pai... Quantas renúncias!!

Voltou os olhos para a parte inferior da estante ainda não organizada, viu os livros infantis que ganhara quando criança e as partículas de poeira sobre eles. Desejou ser apenas uma dessas partículas. Desejou ter fé!!!

Ao pegar o primeiro livro de sua infância, encontrou outra foto solta com seu pai e sua mãe, olhou atrás da foto, respirou fundo, deu um leve sorriso e percebeu que não precisaria sofrer tanto assim.

Continua...



Uma linda quinta-feira para todos vocês minhas gentes, pois nas quintas há sempre algo no ar e hoje há um bombinha para a Laurinha explodir lindamente amanhã... AGUARDEMOS!!

*Da canção "andar com fé" de Gilberto Gil. 
Obs.:Coloco título e explicação assim copiando ideia do Rafa, porque não tenho originalidade meeesmooo

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Faça a diferença

Tema: Conto continuado
Por: Nina Reis


A foto daquele dia em que segurava fortemente seu diploma nas mãos. Ela retratava bem o brilho nos olhos, o largo sorriso e mesmo assim não disfarçava o nervosismo.
O responsável pela linda fotografia, era seu pai, o mesmo que o havia presenteado com o livro de capa azul.
Apenas os dois sabiam a importância daquele diploma e como, a partir daquele momento, tudo, tudo haveria de ser diferente, e foi.
Atrás da fotografia, um bilhete, que dizia: "Muito orgulho de você meu filho. Realize seus sonhos, evolua como ser humano e não deixe que a maldita (cólera) lhe contamine. Faça diferente do seu pai" 
Ao terminar de ler o bilhete, ele fecha o livro, as partículas de poeira sobem e seus olhos ficam completamente marejados.  Senta na cama e ... 
  


E continua.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

Dentro de um livro, na cinza das horas*

Tema: Conto continuado
Por Rafael Freitas

Outra vez ouviu a própria voz ecoando pelo quarto enquanto praguejava contra a poeira acumulada na estante. Há dias sentia-se irritado com os livros que estavam fora do lugar e com a camada fina, porém presente, do pó amarronzado que lhe manchava a ponta dos dedos quando experimentava o gesto batido de deslizá-los pelas prateleiras do móvel, criando um rastro.

Lembrou-se de que, quando criança, gostava de ver nos feixes de luz que vazavam pelas portas entreabertas de algum cômodo da casa, as muitas partículas que pairavam pelo ar, como pelinhos, e imaginava se o ar seria assim o tempo todo e em todo lugar: cheio de ciscos, mas ciscos que dançavam na luz do sol.

Há quanto tempo não via uma cena como essa! Ainda mais depois das mudanças no trabalho. Estava feliz, porém cansado. E acabara de decidir ao olhar para o último caminho traçado pelos seus dedos na estante vermelha: de hoje não passa.

A estante acomodava, principalmente, seus livros. Não eram muitos, mas eram preciosos. Tirou-os cuidadosamente do lugar e limpou as prateleiras. Depois, passou um pano limpo em cada um dos livros, eliminando a poeira das capas e das laterais. Fazia tal limpeza com prazer e sem pressa, detendo-se naqueles que lhe traziam boas lembranças, às vezes relendo as informações na capa ou alguma dedicatória.

Dentre eles, um livro de capa azul se destacava. Um livro muito querido, do Gabriel Garcia Marques, que fora um presente. Ao pegá-lo, lembrou-se de um tempo em que era feliz e de um sonho realizado. Notou que, quase na metade das páginas, havia algo que lhes separava, um papel ou coisa assim. Uma foto. A foto daquele dia em que...


E continua.



* Trecho da música Vambora, de Adriana Calcanhotto.

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

Tá feio, tá ruim!!!

Tema: precisamos melhorar
Por: Rosana Tibúrcio
 
Vai ter cabelo branco sim... e lindo!!!
Entre criticar o outro pelas costas e falar para o outro o que não foi perguntado, fico com a primeira opção, mesmo sabendo que ela não é a ideal. O correto seria não falar nada de ninguém. Mas... PÁRA (com acento porque sou revoltada até hoje), ninguém é assim.  

Vejamos. O que você tem com a vida do outro que resolveu: fazer uma tatuagem que, para você, é horrorosa? Deixar os cabelos brancos (eu)? Desenhar a sobrancelha de caneta bic ou pincelzim?? (te amo Padre Fábio) Ficar com a boca e testa estilo “feito em série”? Escrever textão no facebook? Retuitar o que gosta dos programas de tv que ama (eu)? Escrever sobre política, futebol e religião? Postar, no Instagram, foto de cachorro ou gato, pôr do sol (eu), comida em prato feio, unhas da semana (eu), bebendo todas ou de coloridos (eu)? Gostar de funk ou sertanejo (eu)? Falar top, affe (eu) e rir com hahahaha? Tá, PAREI!!!

Precisamos melhorar, segurar a nossa língua e não falar o que não foi pedido para ser falado. Percebo que há um exagero absurdo nessa questão de liberdade de expressão. Tá feio, tá ruim!!! Precisamos melhorar!!! 

Não gosta de foto de colorido? Não poste, não siga quem posta. Você que é homem, não gosta de sutiã bege? Não use. Não gosta de textão no FB? Não siga quem elabora textão. Veja bem como é fácil evitar essa gastura de achar esquisitice na escolha do outro.

Essa coisa invasiva provoca, pelo menos em mim, o que há de pior como resposta. Falou mal do meu cabelo branco, para mim? Falo mal do cabelo seco e sem brilho que, habitualmente, o outro que falou do meu, possui. E, assim, por diante... fico mais chata do que o chato. Tá feio, tá ruim!!! Precisamos melhorar!!!

E essa melhora passa pelo exercício diário de se colocar no lugar do outro, de respeitar o outro, de pensar: “gostaria de ouvir ou ler isso a meu respeito, sem eu ter pedido opinião?”

Tô meio de saco cheio desse excesso de palpite. Ficaria horas contando tudo que já ouvi sobre eu não pintar meus cabelos. Mas tenho o coração bão e pouparei vocês.

Quer falar mal do que o outro usa ou posta? Venha cá, pegue seu banquinho que te escuto, quiçá falo também... mas que fique apenas entre nós. Fala para o outro não. Melhore!!! Tá feio, tá ruim!!! Precisamos melhorar!!!



Uma linda quinta-feira para todos vocês, meus amores, pois nas quintas há sempre algo diferente no ar e hoje há uma boa dica para você parar de sentir e de provocar gastura.  

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

Um pensamento, duas garfadas, meio exercício e nenhuma conclusão

Tema: Precisamos melhorar...
Por Laura Reis


Reza a lenda que comecei a fazer pilates semipatrocinada pelo Beblue e que eu vou dar um jeito de cuidar mais da minha saúde, né? Comer melhor, fazer outros exercícios também.

Porque assim, tem um ano que passo em frente a uma academia e só de olhar o pessoal correndo, pedalando, levantando uns pesinhos ou vestidos com aquela roupa, já sinto que estou me exercitando. Perco vários gramas e centímetros naqueles segundos.

Aí me lançam uma lata especial de Leite Moça que eu, obviamente, quero colecionar. São 5 modelos e vários impulsos para fazer brigadeiros, porque a criatividade chegou e parou aí.

Porque assim, eu me interessei por cozinhar também, mas fui naqueles esquemas de estrogonofe, macarrão, lasanha e só. O interesse também parou por aí. Porque “pelo menos eu tô fazendo minha comida”, mesmo que pouco saudável.

Aí eu fico pensando que preciso aproveitar bem a vida e me vem aquele dilema: isso significa comer o que quero, fazer o que quero ou me cuidar para estar viva por mais tempo para fazer outras coisas que ainda nem descobri se/que gosto? Não sei.

E qual a moral dessa história? Também não sei. Acredito que preciso parar um pouco mais para refletir e compreender o que de fato eu quero dessa vida e se isso vale a pena, né?

Mas primeiro vou ali rapidinho, só comer alguma coisa antes... Depois eu volto ao raciocínio.

quinta-feira, 10 de agosto de 2017

Do que fiquei sabendo

Tema: livre
Por: Aninha e Rosana Tibúrcio

Porque eu precisei, tava com saudade dessa bandidinha e porque sim. Com vocês, Aninha:

Oi, tias e tios velhos, leitores desse blog, tudo bem? Aqui é a Aninha (façamos de conta que há um áudio daqueles meus que vocês tanto amam).

Quanto tempo, né? Minha vidinha infantil (oi??) continua naquela correria de sempre. Ser estudante no Brasil não está fácil para ninguém, muito menos para mim, que vim do Acre, pois é um tal de achar que nada sei. Ledo engano. Bobinhos.

Falando em saber, desse tempo todo que fiquei longe daqui houve uma série de acontecimentos com os tios guaranetes. Vou contar um pouco para vocês porque, também, tenho um coração bom.

Dizem que a Tia Rosana foi operar do ouvido para ouvir mais (ouvir, no caso, tadinha, porque tava bem surdinha, ainda tá...) e a coitadinha se submeteu a uma cirurgia grandinha, tomou uma anestesia estranha que provocou nela um esquecimento pontual. Explico: ela não se lembra de nada que aconteceu no dia posterior à cirurgia e esse assunto tem rendido. Detalhes inbox...

Pulando da Tia Rosana para o Tio Rafa, fiquei sabendo que ele tem uma sobrinha/afilhada nova, a Sarah, coisa mais linda desse mundo de meu Deus; que ele tá viciado na Netflix (um adendo: é A e não O netflix, tá bom? Obrigada. De nada); que continua relapso, mas “gente, é que estou com 100 aulas semanais e não está fácil para mim.” Aposto meu fichário do ano passado (faço coleção) que ele está de namoradinho novo e escondendo o fato para nós. SAFADINHO!

Quanto à Tia Marina, sei que ela está num romance para lá de sério com o Tio Guto que, ainda, não tive o prazer de conhecer, mas conhecerei agora na semana que vem, se meu pai não inventar outra ida para o sítio. Conhecer o Tio Guto não conheci, mas já ouvi uns áudios bem engraçadinhos dele, sei que tem trazido uma cafeteria para a Tia Suzaninha oppps, Rosaninha e que ela está, SIM, auferindo lucros com esse namoro. Fica esperto, Tio Guto!!!

Agora vamos para a Tia Laurinha que de uns tempos para cá tem, batendo no peito, em vez de um coraçãozinho, uma bolinha... arááá, tô sabendo de tudo, safadinha. Sei também que é um tal de ver filmes e séries com bolinha para lá, bolinha para cá, um verdadeiro parque de diversões. Tá certinha, tia Laurinha... “A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem...” Opps, desculpem-me meus tios velhos, é que estamos fazendo um trabalho intenso sobre Guimarães Rosa e me apaixonei por esse mineirinho também. Também, porque eu amo os mineirinho tudo, amo mais ainda vocês quatro e esse guaraná com canudinho da minha minha bolinha, oppps, do meu coraçãozinho.

Um beijo para todos vocês e até a próxima vez. Só peço, Tia Rosaninha, que seja mais organizada nessa precisão de mim por aqui. Às vezes, tenho compromissos inadiáveis, tudo em prol do meu futuro.

Uma linda quinta-feira para todos vocês, meus amores, pois nas quintas há sempre algo diferente no ar e hoje há uma quase mentira... sobre o dia da postagem aqui. Quem nunca??? 

quarta-feira, 9 de agosto de 2017

Curiosidades estranhas

Tema: Livre
Por: Nina Reis

1 – Regra no banho
Primeira parte ensaboada do corpo, braço esquerdo.
Primeira parte a ser enxugada, o rosto.

2 – Hábito estranho
Estalar os joelhos, assim, o tempo tudo. urgh

3 – Me tira do sério
Atraso

4 – Lado da cama que durmo
Direito

5 – Regra de beleza que prego e não pratico
Tirar a maquiagem toda noite

6 –  Bicho de pelúcia e o nome 
Dois ursos, Toddynho e Molengão

7 – Sempre peço no Mc Donald´s
Cheddar Grill

8 – Telefones que decorei
Mãe, Tio Caio, namorado e o meu rsrs

9 – Frase de exclamação que sempre falo
Jura? Verdade?

Nove, porque não sou obrigada a seguir regras hihi

segunda-feira, 7 de agosto de 2017

Prazer, meu nome é agosto

Ou ainda “O que te espera depois das férias ;)



Tema Livre
Por Laura Reis

Eu começo trazendo cólicas de madrugada e fome em excesso para você morder sua boca em vez de abocanhar a comida e ficar uns 4 dias lembrando de tamanha estupidez.

Trago pra você um calor quando você não espera e amanheço tranquilo, para mostrar um frio terrível, assim que você coloca os pés na rua.

Eu calculo meticulosamente os móveis no lugar certo para encontrarem alguma parte de seu corpo, especialmente quando você começou a fazer exercícios e ele já está doendo só de existir.

Uma preguiça incontrolável tomará conta de você nos meus primeiros dias, porque encomendei uma supercarga de procrastinação e vontade de voltar pra cama. Prepare-se!

Em alguns momentos, quando você estiver feliz por ter resolvido alguma questão pendente há dias, adiantarei os relógios para que seu horário de almoço diminua consideravelmente e você precise correr contra o tempo.

E você pode até estar tranquilo, porque acabou de curtir um fim de semana, mas lembre-se: eu tive 11 meses para desenhar todos os meus dias. Aproveite.

quarta-feira, 14 de junho de 2017

Maldito feriado cof cof cof

Tema: Penso, logo desisto
Por: Nina Reis




Seis e meia da manhã e o despertador tocando minha música favorita. Olho para o lado do guarda-roupa e na porta está pendurado o cabide com o conjuntinho novo que comprei para fazer caminhada. Lembro-me do dia anterior que comprei a polpa do suco que mais amo e ovos, muitos ovos para os deliciosos ovos mexidos que tenho costume de fazer toda manhã.
Ainda tentando acordar, olho para baixo, vejo meu tênis que por sinal está na última parcela. O despertador continua tocando minha música. Remexo, dou aquela espreguiçada de estalar o corpo todo, remexo novamente e penso: é feriado caramba. Desligo o despertador, fecho a porta para deixar o quarto mais escuro e obviamente, logo desisto dos planos de tentar iniciar minha vida fitness.
Tudo culpa do feriado,

hoje é o feriado, ontem foi a preguiça e sigo assim, pensando e logo desistindo de acordar antes das sete da manhã.

terça-feira, 13 de junho de 2017

E no balanço das horas tudo pode mudar *

Tema: Penso, logo desisto
Por Rafael Freitas

Uai, Rafael. Pra alguém que tem orgulho de ser virginiano, aquela estante vermelha ali tá num estado crítico, hein?! Olha pra esquerda, vai. Sentiu o drama? Até parece que os livros criam pernas e mudam de lugar sozinhos, desordenadamente. Já perdi a conta de quantas vezes você já prometeu que vai organizar essas pastas de partituras. E aquele álbum novinho que você comprou pra organizar as fotos da sua mãe? Comprou no mesmo dia que agenda de telefones, que também não foi passada a limpo. Sua caixa de documentos recentes também já quase não fecha. Tem alguns meses ali de recibos e faturas que precisam ser colocados na pasta sanfonada. Ordenados por data, não se esqueça. Melhor nem comentar da pasta de estágio e dos croquis daquele seu colega de magistério, DE MAGISTÉRIO, que você precisa devolver. Na mesma pilha tem uns CDs, DVDs e livros nessa situação. Agora olha pra direita: trabalhos pra corrigir e aulas pra preparar. Não vá deixar pra domingo à noite, como sempre. Já avisei que qualquer hora esse computador vai te deixar na mão. Faz aí um backup dos arquivos importantes e manda lá pra arrumarem o drive de CD e DVD, que não grava nem lê (adoro uma rima!). Tem também o lance do som que para do nada e as entradas USB aí da frente que não estão lá essas coisas. Aproveita pra ajeitar seu HD externo que, olha... É muita pasta duplicada, muito arquivo pra deletar, muita música pra organizar e renomear. Padronizadamente, claro. Até parece que você nunca participou daqueles programas de qualidade, 5 S's, essas coisas. E lembra daquela palestra na malharia? A mulher disse que tarefas que vão ficando acumuladas, que vamos procrastinando, vão gastando nossa energia, nos deixando cansados e preocupados. Tem que deixar tudo em dia, certo? Aí depois você vai ler, assistir um ou outro episódio de uma série... Tudo planejado, agora vamos dormir porque, como você não trabalha amanhã, pularemos da cama assim que o despertador começar a urrar. Sem cinco minutinhos! Sem soneca! Sem... OLHA, SAIU A QUINTA TEMPORADA DE ORANGE IS THE NEW BLACK. TEMOS QUE VER!!!! 


* Matando a saudade dos anos 80 com um trecho da música Tudo pode mudar, da banda Metrô.

segunda-feira, 5 de junho de 2017

O dia que eu só não gostaria de esquecer pra sempre porque, no fim das contas, é uma história pra contar

Tema Livre
Por Laura Reis



Me lembro como se fosse hoje da sensação de impotência em carregar um pequeno estojo de lápis enquanto ao meu redor se abria um portão para o infinito mundo dos materiais artísticos.

Foi assim: em algum momento do período vestibulando eu decidi que seria uma boa artista plástica. Uma das razões para chegar a essa conclusão, com certeza, era o fato de em todas as provas de exatas, ou naquelas que exigiam a lembrança de fatos cronológicos, eu me saia muito mal. A questão visual parecia mais simples de ser alcançada e foi lá que me matriculei.

Chegou o dia de fazer a prova específica de artes visuais e o meu conhecimento nesse campo era tão grande quando uma tela de colagens e uma noção do que parece bonito aos meus olhos.

Entrei na sala com a minha bolsa e alguns materiais como lápis de cor, tesoura e cola e me sentei na cadeira. Respirei fundo pensando que logo logo aquilo ali – que tinha tudo para ser divertido – estaria no fim e eu poderia beber uma cerveja com meus amigos. Risos.

A cadeira que escolhi, assim como no colégio, era bem na parede esquerda então eu tinha uma visão privilegiada de todos os jovens em construção ali presentes e, assim que passei o olho pela primeira vez, senti aquele deplorável misto de vergonha e desespero. Tenho certeza que naquele momento, meu rosto (em sua melhor performance artístico-plástica) passou do branco para o vermelho explosivo em poucos segundos.

Montanhas de materiais e estojos gigantes que não paravam de brotar bolsos internos com canetas intergalácticas, compassos impressionantes, réguas estratosféricas e outros milhões de materiais que nunca avistei em minha humilde trajetória artística de criança que pinta esse tipo de imagem acima ilustrada.

Se você pensa que não poderia ficar pior, sente-se e fique bem à vontade.

Uma das tarefas era transformar um cilindro de isopor em algum objeto - com o auxílio dos materiais levados para a prova. Ressalto que, nesta época, eu também estava numa vibe meio hippie e, obviamente, decidi que fazer um porta-velas ou porta-incenso era o mais sensato a construir naquele momento. O isopor ia se desintegrando na minha mão até que sobrou apenas o formato de um pequeno lápis com ponta falhada que terminei aos prantos enquanto visualizava de canto de olho sanduíches completos com alface e tomate, mesas de praça com seus quatro bancos acompanhantes e algumas outras obras de arte que minha memória, com certeza, se esforçou para apagar. Obrigada, amiga.

Pois bem. Obviamente eu terminei fazendo Publicidade e Propaganda, como é sabido pela população, e agora que terminei esse relato, tenho quase certeza que já fiz ele em algum lugar da web. Peço desculpas... é que  sempre fico abalada com esse conto.

Hoje concluo que o meu vício adulto em papelaria, canetas, lápis e todas essas firulas tem um triste fundamento que a minha memória, obviamente, não vai me deixar esquecer.

quinta-feira, 1 de junho de 2017

De você sei quase nada...*

Tema: 30 fatos sobre mim
Por: Rosana Tibúrcio
 
Preciso de ajuda!!
1. Não suporto e não sei andar descalça e, se piso no chão, sinto pavor se não lavar os pés antes de calçar, novamente, sapatos, chinelo. O ideal, na verdade é ir direto pro banho depois dessa aventura.
2. Levo muito choque quando me encosto em portas, janelas, tesouras, torneiras, chaves, gentes. Dizem que é porque não piso no chão.
3. Aliás, morro de medo de levar choque e me estorricar inteira. Muitas vezes, abro e fecho torneira do banheiro com uma toalha na mão.
4. Já levei um choque muito pavoroso no chuveiro de casa quando eu era criança.
5. Quando lavo cabeça de dia sempre penso que meus cabelos estão limpos, cheirosos e úmidos até à noite, mesmo se tiver muito calor.
6. No meio da noite e, por várias vezes, eu viro o travesseiro pro outro lado pra pegar um friinho dele.
7. Não sou de mentir muito, mas quando minto algo muito sério eu arrumo um cúmplice pra me ajudar, me apoiar ou mentir comigo.
8. Assim como a Laurinha – apesar da coleção dela ser outra – não sei quando comecei a fazer coleção de cartões vencidos de banco, plano de saúde et cetera e tal.
10. Fiquei sem noção para estilo de roupa de 2000 pra cá: de “só blusas pretas”, passei para "só blusas estampadas" e não sei no que isso vai dar e PRECISO PARAR COM ISSO!!! QUEM ME AJUDA?? Affe! 
11. Uso o “affe” e “genteeeee” pra qualquer situação de intensidade, não importa se o sentimento é negativo ou positivo.
12. Detesto manifestação; quaisquer manifestações.
13. Choro muito pouco e me distraio à toa quando choro. Aí quando cuido que não, parei.
14. Amo rotina.
15. Até consigo disfarçar tristeza, decepção, preocupação, mas raiva, nunca. Aliás, tenho medo de mim quando fico com raiva. Cês deveriam ter também.
16. Estou usando uma escova de dente azul, depois de séculos de vermelha, e não me sinto feliz por isso.
17. Tento me policiar para não entrar neste mesmo esquema que percebo nas redes sociais e me deixa muito desconfortável: todo mundo julga todo mundo o tempo inteiro e muitos distribuem cartilhas de comportamento e né? Vãosifu!! PAREM!!!
18. Sou a favor da democracia, super a favor, menos nas minhas redes sociais. Em todas elas quem dá o tom sou eu, a dona.
19. Amo minhas fotos de unhas e os elogios que recebo por elas e pelas unhas, e por mim porque sou linda, deslumbrante, maravilhosa. Tá, PAREI!!
20. Já tive um blog chamado lindamente de Pura Fama, mas em compensação tive um fotolog chamado Melíflua que é o nome mais ridículo que uma pessoa poderia arrumar pra qualquer coisa.  
21. Nunca tive birra e muito menos entendi por que os homens têm que deixar a tampa do vaso abaixada. Por que não as mulheres deixarem a dita cuja levantada?
22. Falando em vaso eu sempre olho dentro dele depois de fazer o dois e me expresso com caretas ou palavras como: que podre, nuuuu, affe, emagreci uns cinco quilos com essa... hahaha
23. Quando me lembrei do item anterior eu ri uma vida e pensei também por que as pessoas ficam constrangidas em usar o banheiro ou dizer que usou? até parece que ninguém caga né?
24. Falando em rir eu sempre rio muito quando penso umas besteiras como essa anterior e rio mais ainda ao contar pros outros que tava rindo e rio de quem ri disso também.
25. Quando utilizo o Ctrl c – Ctrl v, na senzala, sempre falo, à medida que aperto as teclas: copiar, agora colar, pronto.
26. Falando em senzala eu me considero muito maravilhosa na minha e fico muitas vezes pensando como é que consigo ter uma percepção tão acertada de inúmeras questões que não são de minha área. Aliás, modéstia à parte, eu tenho total consciência de que qualquer texto acadêmico melhora consideravelmente depois que passa pelas minhas mãos. Obrigada. De nada.
27. Sou apaixonada por relógios e queria ter um em cada canto da casa pra olhar as horas qualquer hora.
28. Se eu fosse mais nova eu faria algumas tatuagens bem pequenas, com traços finos e sem cores. Acho lindo!
29. Se eu morasse com Marina eu faria massagem com ela, no mínimo, duas vezes na semana. Pagando, claro. Se com o Rafa eu aprenderia tudo de artes, cinema, música, conjugação de verbos, vírgulas, esmaltes e roupas. Se com Laurinha tentaria aprender sobre originalidade, ética comportamental nas redes sociais, equilíbrio e ficaria horas vendo fotos lindas. Esse item é só pra dizer que amo esses três e tenho maior orgulho ser a mamita, mainha e mai deles.
30. Adoro falar não só sobre mim, mas sobre pessoas, de pessoas e com pessoas sobre nossos hábitos, gostos e jeitos de ser, assim como propõe o tema do guaraná desta semana. E se você for como eu e quiser saber mais de mim, por exemplo, corra lá no Dona da Banca leia este post de 2009. Ah, posso ter mudado um pouco.

Uma linda quinta-feira pra todos vocês, meus amores, pois nas quintas há sempre algo diferente no ar e hoje há mais sobre mim, se é que isso lhes interessa.

* Escolhi o título a partir da canção de Zeca lindão Baleiro Quase nada, porque sim

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Um pouquim de mim

Tema: 30 fatos sobre mim
Por: Nina Reis



1 . Depois de comer “sal” e “doce”, ainda sobra um mega espaço para pipoca.
2 . Sou a louca da Nutella, mas não dispenso nenhum chocolate crocante, pelo contrário, é a minha paixão.
3 . Sou completamente apaixonada por artigos de papelaria, entre no meu quarto e verá.
4 . Faço coleção de canecas.
5 . Horas antes de acordar, levanto para fazer xixi e escovar os dentes.
6 . Já pintei meu cabelo de todas as cores possíveis.
7 . Canto muito sozinha e quando estou cantando com fones de ouvido, tenho certeza que estou afinadíssima e cantando igualzin o cantor(a) (digo, no mesmo tom).
8 . Tive pânico de cachorro e anos depois trabalhei como DogWalker.
9 . Sonho em viajar para Curitiba, desde os meus, sei lá, 12 anos. Alguém me leva?
10 . Só conheço o Sudeste e o Centro-Oeste.
11 . Já me relacionei com pessoas que conheci virtualmente.
12 . Na minha infância e adolescência comia banana como se não houvesse amanhã. Hoje? Tenho PAVOR. Entenderam? PAAAAAVVVVOOOORRR.
13 . Detesto política e não conseguido me manifestar mediante qualquer discussão sobre o assunto.
14 . Sempre iniciarei o banho ensaboando o braço direito e ao terminar enxugarei o rosto primeiro. 
15 . Tenho coleção de papel de cartas e não me vejo vendendo e nem doando eles para alguém, mesmo que nunca os use. 
16 . Tirei carteira, mas parei na permissão, me julguem, não peguei a definitiva, mas prometo correr atrás disso.
17 . Já tive complexo por não ter bumbum, sim, sim, usei calcinha de enchimento por anos.
18 . Laurinha e Guto são as únicas pessoas que permito que me mordam, pois posso dar o troco, bem dado. #amorzinhos
19 . O sonho da vida é me hospedar em um hotel, ligar o ar condicionado no 17 e só acordar para tomar aquele delicioso café. Depois voltar para debaixo do edredom, aqueles rechonchudos rsrsr  que só os bons hotéis possuem. 
20 . Já fui professora de catequese, ensinei muitos pequetitos a rezarem.
21 . Já escrevi uma carta quilométrica para Sandy & Júnior, na dificuldade de ir a um show deles, resolvi dar a carta para o SKANK hahahahahahahahahahahhahaha
22 . Depois de rejeitar tanto, não poderia imaginar que comida japonesa seria minha comida favorita.
23 . Ligava na rádio para pedir músicas e fiz amizade com muitos locutores.
24 . Sempre fui dessas de deixar bilhetes, escrever cartas, fazer surpresas e deixar organizar tudo de maneira personalizada.
25 . Amo meu nome, mas confesso que ter apelido era sonho de criança.
26 . Sou do dia primeiro de janeiro e tem data mais linda que um do um de oitenta e um?
27 . Amarelo e laranja são cores que me surpreenderam, demorei muito para gostar.
28 . Pego sotaque muito rápido e passo vergonha, principalmente se estiver falando com alguém de Portugal hahahaha
29 . Admiro pessoas que entendem bem Geografia e História. Sou perdida dentro do meu próprio país. 
30 . Sou dessas que passaria noite e dia respondendo esse “questinário” mais umas quinhentas vezes.   

terça-feira, 30 de maio de 2017

Eu falo e ouço, eu penso e posso*

Tema: 30 fatos sobre mim
Por Rafael Freitas




1. Eu queria ser artista plástico, quando criança.
2. Não gosto de carnaval.
3. Não gosto de ter motivos para chorar, mas gosto de chorar quando tenho motivos.
4. Já discuti com um padre, no confessionário, porque ele não queria me dar a absolvição.
5. Já fui atropelado por uma brasília amarela.
6. Já dei um selinho na Elke Maravilha.
7. Acho ilustração uma coisa incrível.
8. Quando vou fazer miojo, como quase metade do macarrão cru. TODAS AS VEZES.
10. Quando penso em ser vegetariano, desisto porque uma vida sem bacon parece tão triste, né?!
11. Tenho fama de ser organizado, mas vivo organizando todas as coisas por ter dificuldade em manter tudo organizado.
12. Fui viciadinho no Orkut, mas não ligo muito para o Facebook.
13. Dou risada quando fico nervoso.
14. Adoro abraços e manifestações públicas de afeto.
15. Adoro festas a fantasia. MUITO. Tenho  muitas pastas cheias de vídeos e imagens de referências daquelas que ainda farei.
16. O Cantus Quatro, quarteto vocal do qual sou integrante, é, para mim, sinônimo de sonho realizado.
17. A primeira vez que fui em uma buatchy gay foi em um show da Gretchen.
18. Drag queens são figuras que me inquietam. Tenho vontade de pesquisar sobre, com direito a entrevistas e embasamento teórico, sabe?!
19. Tem dias que tenho dúvidas se gostei ou não do final de How I Met Your Mother.
20. Já tive um blog chamado "Pedra, flor e espinho".
21. Acho ruim quando não gosto de alguma coisa que muita gente que considero super gosta muito, mas o que fazer, né?!
22. Queria gostar muito de rock só para poder dizer que gosto de rock. #poser
23. MORRO DE PREGUIÇA de filmes de extraterrestres e zumbis.
24. Reparo nas sobrancelhas alheias.
25. Acho pavoroso homem com base brilhante nas unhas e luzes no cabelo.
26. Já fiz luzes no cabelo.
27. Fico irritado com aquelas marcas típicas de dobras nas camisetas, por isso guardo as minhas dobradas ao meio, pelo avesso, ou enroladas.
28. Acho estampa uma das coisas mais maravilhosas da vida e mesmo dependendo de muitos fatores como situação, aplicação, uso, etc, sempre quero mais uma camisa estampada.
29. Aos 33, me sinto velho para usar all star.
30. Passei muito tempo julgando quem "carrega bandeira" por alguma causa, ignorando o fato de que fui beneficiado pelas bandeiras que já foram levantadas contra o preconceito e a favor da igualdade de direitos para a comunidade LGBT. Não me orgulho disso.

O bom é que sempre aprendemos alguma coisa com tudo o que nos acontece. Se a lição não foi das melhores, mudemos de ideia, de atitude. Numa hora a gente acerta. Clichê, eu sei. Mas eu adoro clichês. Taí mais um fato sobre mim que acabou ficando fora da lista.


* Trecho da Música Cérebro Eletrônico, de Gilberto Gil. Conheci na interpretação da Marisa Monte.


segunda-feira, 29 de maio de 2017

Só umas coisinhas...

Tema: 30 fatos sobre mim
Por Laura Reis




  1. Eu queria ser secretária, quando criança
  2. Já achei batom uma das coisas mais bregas dessa vida
  3. Até uns 4 anos atrás eu jamais teria tirado a foto que ilustra esse post 
  4. Eu nunca me sentei no banco do motorista de um carro
  5. Já morei em uma casa e três apartamentos
  6. Guardo todas as cartas e bilhetes que já troquei
  7. Tenho uma coleção de cadernos/moleskines que talvez (com certeza) nunca serão utilizados
  8. Não me lembro em que momento compreendi estar colecionando fotos 3x4 
  9. Já soube fazer tsuru
  10. Um dos meus maiores prazeres virtuais-tecnológicos-entretenimentísticos atuais é marcar os episódios que vejo no TVShow Time 
  11. Tenho certeza que dormindo de cabelos molhados vou acordar pronta para ir ao hospital de tão doente
  12. A única atividade física que já fiz na vida adulta foi pilates
  13. Quando criança, a preferida era me esconder no banheiro para não precisar fazer educação física
  14. Demorei muitos anos para me olhar no espelho e me achar realmente bonita
  15. Eu amo o fato de ter primos com nomes bonitos e sem letras duplicadas ou ípsilons
  16. E amo mais ainda que a letra mais recorrente seja essa Linda Letra L, de Laura, Lilian, Leonardo, Luís Carlos, Luís Fernando e Lucas
  17. Recentemente descobri que gosto de dar presentes, mas nem sempre me lembro disso
  18. Um dos meus maiores receios nessa vida é me casar, passar uma semana, eu olhar pro lado e pensar “mas gente.... como assim?"
  19. Atualmente um dos meus sonhos de consumo é ter muitos armários brancos e espaçosos em casa 
  20. Já tive um blog chamado “A vida é estranha”
  21. No instagram, eu priorizo um feed com gente que ou é bonita ou tira foto bonita (ou de criança) 
  22. Sempre que tento fazer uma maquiagem elaborada ela acaba em um algodão com demaquilante no lixo
  23. Eu adoro experimentar roupas e acho muito difícil comprar sapatos 
  24. Penso que tudo nessa vida deveria ter um plano de assinatura mensal, tipo revista mesmo, que chega na porta da sua casa
  25. Algumas coisas eu compro sempre da mesma marca e não acredito que vá mudar, como achocolatado, bucha de pia de cozinha e escova de dentes
  26. Quando vejo alguém estranho se aproximando, sempre dou um grito ou aceno de cumprimento bem exagerado para o outro lado da rua, mesmo que não haja uma vivalma por lá
  27. Uma das mais difíceis tomadas de decisões em minha vida é: levantar mais cedo ou voltar correndo do trabalho pra casa para lavar o cabelo?
  28. Acho estampa uma das coisas mais intrigantes, porque pode ser maravilhosa, mas pode ser bem brega e isso depende de muitos fatores como situação, aplicação, uso, etc.
  29. Meu Cheetos preferido é Lua, da embalagem laranja
  30. Em oito anos várias coisas sobre mim mudaram e você pode conferir isso com mais detalhes lendo as 101 coisas fúteis sobre mim  que já escrevi no Bobagens Importantes.
Obrigada pela atenção.


quinta-feira, 25 de maio de 2017

Esperanças de querer *

Tema: um álbum, um conto
Por: Rosana Tibúrcio (com participação especial de Terra dos Sonhos de Almir Sater)
 
CD que mais ouço na vida e que ganhei em 1999 de
Cristiane, minha ex-colega de banco

O Ganso - aquele sujeito que amei um dia e que chamo de ganso sim, pois é como ele merece ser chamado - fez um verdadeiro estrago na minha vida.
É necessário desabafar e tenho certeza que depois dessa catarse minha vida voltará nos eixos; tal qual mereço. Vou contar para vocês como tudo começou. E acabou. E por que acabou...
Mês de maio, no mês mais lindo da vida foi quando ele entendeu que me amava e disse com todas as letras que reproduzo: “você quer se casar comigo? mas saiba que é importante você me saber acolher como eu colho em você esperança de querer...”
Vida bela, vida foi só o que imaginei viver a partir daquela declaração. E disse sim, não apenas um sim, eu complementei: sim, pra sempre eu quero me deitar ao seu lado de noite e deixar que a paixão me domine.
Terra dos sonhos, foi tudo sonhei e quis para nós a partir desse maio. Como se não bastasse tamanha expectativa eu ainda ouvia dele, quase todos os dias: “Ninguém vai nos fazer mal”.
Jesus menino! Só que o tempo passou e, confesso, não estava preparada para o que ocorreu. Eu que pensava em sentir as mãos dele apenas em meu corpo descobri, do nada, outro lugar que lhe era preferido. Calma, vô contá!!
Na cumbuca, minhas gentes, ele colocou a mão da minha cumbuca, pegou todos os meus dinheiros, mexeu nos meus segredos, no meu passado. Não suportei e eis que...
Vaso quebrado prum lado, porta-retratos despedaçados por outro, discos arranhados... Ele que dizia “ninguém vai nos fazer mal” foi o causador do fim do nosso amor.
Na rasta do adeus vi que era mesmo hora de tocar a vida sem olhar pra trás... e hoje há apenas uma saudade daquilo que sonhei um dia... e a saudade, minhas gentes, a saudade maltrata...
A saudade é uma estrada longa que começa e não tem mais fim... porque sempre, sempre sentirei saudade, não do ganho, mas da terra dos sonhos que pensei viver um dia.

*O título do post e partes do texto em itálico são de “é necessário” a música de amor mais linda da vida...


Uma linda quinta-feira pra todos vocês, meus amores, pois nas quintas há sempre algo diferente no ar e hoje há uma confusão de frases que resultam apenas em: Te amo, Almir Sater, casa comigo? 

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Nosso olhar

Tema: Um álbum, um conto *
Por Nina Reis (com participação especial de Mais, de Marisa Monte)


Mais **, muito mais intenso do que pudesse imaginar. Queria você de volta, mas naquele momento apenas nossos olhares se cruzavam e tudo o que eu queria dizer era:

Beija eu, beija eu, beija eu me beija e deixa acontecer.

Volte para o seu lar, não quero que fique longe de mim que fique longe de nós, de tudo que estamos construindo.

Ainda lembro-me do nosso primeiro encontro, de todos os nossos planos.

De noite na cama, quando estou sozinha, é completamente cruel.

A rosa que me enviou, permanece no criado mudo ao meu lado.

Borboleta, aliás borboletas na barriga é o que sinto agora vendo o seu olhar. Sei o quanto você quer, mas sei também do seu medo. Te ajudo! Vamos fazer assim, vamos tomar um banho.

Ensaboa meu corpo que ensaboo o seu e enquanto isso vamos nos entregando.

Eu não sou da sua rua, não sou sua vizinha, sou seu amor, seu eterno amor, pra mim é tão simples que entenda.

Diariamente me pego a pensar o quanto a vida é sem graça sem você.

Eu sei que você sabe e sei que quer.

Tudo pela metade não funciona, nunca irá funcionar, você me completa, eu te completo, entende? E não somos apenas dois.

Mustapha é nosso filho, canino, mas é nosso filho.

Volte e tudo será ainda melhor.

Mas não consigo dizer nada disso, apenas permaneço te olhando e tenho a certeza que você compreendeu tudo que eu “quis dizer”.
Nos beijamos, nos entendemos e ... fomos pro banho.

*Escolha um álbum e utilize cada música dele para iniciar um parágrafo de seu conto.
** Post iniciado com o nome do álbum para facilitar mesmo. Meus posts minhas regras.  E sem link para as músicas pq não sou obrigada rsrsrs

terça-feira, 23 de maio de 2017

Dramas do sucesso, mundo particular*

Tema: Um álbum, um conto **
Por Rafael Freitas (com participação especial de Meio Desligado, do Kid Abelha)



Deus é testemunha.

Alice, sempre tão sincera, sempre esquecendo-se do nosso amor, partiu sem deixar nem mesmo um bilhete curto.

Gosto de ser cruel, é verdade. Nas nossas brigas, era capaz de chorar, ser ridículo até não aguentar. Mas tudo era pra chamar sua atenção.

Como eu quero voltar no tempo! Se este fosse um desejo realizável, faria tudo diferente: seríamos cada um por si, ela por mim e mais nada.

Por que não eu? Não sou perfeito, mas quem é? Digo isso com a cara mais lavada enquanto ela, provavelmente, cai no sofá, vinho à beça na cabeça... Eu que sei com quem poderia estar. De ciúmes, eu me viro do avesso.

Seu espião veio me procurar. Sim, ela contratou um espião para me bisbilhotar. Não entendi o porquê. De repente tornou-se ciumenta ou era apenas precaução? Ou mais um viés daquela sua personalidade controladora?

Eu tive um sonho com ela. Eu jogava meu corpo em cima do seu e ela me dizia: _ É o que devemos fazer, não temos que ter medo.

O beijo parecia real. A língua, a saliva, os dentes. Mas meus olhos abriram. O telefone tocava sem parar.

Cristina. Só podia ser Cristina. Problemas no escritório, precisavam de mim e era urgente. Desci as escadas correndo, ajeitando a camisa.

No meio da rua, vejo uma moça que passa fazendo cara de santa. Ela me faz lembrar de Alice, aquele nariz empinado desafiador, mas cativante; aquela sua postura de quem se basta sem sentir nada.

Nada por mim nem por ninguém. O resto do dia pensei em Alice. À noite, já em casa, fui perseguido por lembranças que me fizeram perceber que ela não é capaz de cuidar do que possui. Certa vez, sorriu e me propôs que eu lhe deixasse em paz. Me disse vá e eu não fui. Como já estava decidida, me deixou sem levar nem mesmo seus livros, CDs e DVDs favoritos.

Grand Hotel, Casablanca, E o vento levou.  Os romances empilhados na estante me fazem refletir... Qual o segredo da felicidade? Será preciso ficar só pra se viver?

Solidão, que nada, concluo. Viver é bom! Com o tempo um novo amor aparece. Então uma melodia entra pela janela do quarto.

Canário do reino cantando em algum lugar. Na gaiola ou na mata, ele não deixa de cantar. Logo entendo. Ah, essa nossa vida cheia de metáforas! Então sinto alegria e um desejo puro e verdadeiro: eu quero que o mundo inteiro se sinta feliz.


* Trecho de Como eu quero.
** Escolha um álbum e utilize cada música dele para iniciar um parágrafo de seu conto. Meio desligado foi escolhido por ser um dos primeiros CDs que comprei, há uns 20 anos, e ainda ouço sem pular nem uma faixa!


segunda-feira, 22 de maio de 2017

Tudo tem sua razão de ser

Tema: Um álbum, um conto*
Por Laura Reis (com participação especial de "7 sinais de Almir Sater"



No rastro da lua cheia, segui até a beira do rio para concluir o que havíamos começado noutras vidas, como acreditei. A água era cristalina que dava pra ver o chão com o reflexo da lua.
De maneira simples e, apesar de o universo aparentemente não concordar com aquilo, coloquei tudo para correr a favor da água. Todas as nossas lembranças passando por mim, como se fosse a primeira vez.
Serra de Maracaju, Pantanal, lençóis maranhenses, viagens e bagagens que antes eram nossas ganhavam uma nova dimensão e poderiam, enfim, ir embora. Assim como você fez.
Planície de prata brilhava no céu, como se tivesse encomendado uma serenata “Saudade maltrata, jamais te esqueci”.
7 sinais recebi de luas, estrelas e constelações. Não há crenças, sem recompensas e superstições, repetia.
Horizontes se passaram e a vida cuidou de se aquietar. O mantra “Será como Deus quiser, como o destino mandar.”, fazia sentido.
Lua nova nasceu e, já noutro ar, ouço ao longe:
Cubanita!”.
Não é possível...
Três toques na madeira, ela voltou.



*escolha um álbum e utilize cada música dele para iniciar um parágrafo de seu conto 

quinta-feira, 11 de maio de 2017

Com meus iguais

Tema: eu me divirto
Por: Rosana Tibúrcio

Eu só me divirto na igualdade, desculpaêê diversidade tão proclamada, inclusive por mim, mas concê não sei me divertir.
Veja bem, divertir pra mim resulta em boas risadas, muitas risadas. A vida nos dá muitas coisas boas como a felicidade, o prazer, o gosto, a alegria, o encantamento, a admiração, mas diversão é risada. Pra mim!
E pra mim, não há como rir com que pensa diferente do motivo que me provocou risada; não há como rir com alguém que está fora do seu quadrado. Jamais rio de determinadas piadas que destacam sofrimento alheio. Então jamais riria com quem ri disso. Tão me acompanhando?
E nesse caminho aí eu rio muito, me divirto muito, numa conversa no whatsapp, na mesa do café, aqui na minha sala do micro com um ou outro amigo. Mas quero destacar o tanto que rio num dos melhores lugares da internet: o twitter.
No twitter escolho quem seguir e, sobretudo, quem ler, sem esse lance de que fulano é meu amigo ou parente e não devo parar ou sou obrigada a seguir. Se eu me aborrecer mais de uma vez, com qualquer pessoa, excluo. E assim sigo com meus iguais: com quem zoa da Glorinha Peres e suas viagens novelísticas, com quem cria memes da Carminha, Nina, Lucinda, com quem julga The Voice e todos os programas de TV; com quem acompanha depoimento do Lula, et cetera e tal. Gente, o que eu me diverti ontem, cês não tão entendendo, mesmo sabendo que o Brasil tá essa merda toda e que a coisazzzzzzzzzzzzzzzz. Eu ri, ri muito e me diverti, porque né? É disso que estou falando e eu SE divirto no twitter. Venham!!!


Uma linda quinta-feira pra todos vocês, meus amores, pois nas quintas há sempre algo diferente no ar e hoje há um convite procês frequentarem o twitter e rirem comigo até 2055. 

quarta-feira, 10 de maio de 2017

Comigo é assim

Tema: Me divirto
Por: Nina Reis


Se tem algo que serve como engrenagem para o meu relacionamento é a diversão, as tiradas de sarro, as piadas internas, o deboche saudável, até os palavrões nessas horas soam leve.
Na verdade em qualquer relacionamento, seja entre irmãos, mãe e filho, marido e mulher, namorados, amigos, um dos pontos mais positivos pra mim, é o bom humor, ele suaviza até a situação mais complicada.

Sou dessas que não consigo imaginar um casal sem um pingo(Zinho) sequer de malícia. 
Vai pra frente? Não sei. Eu não consigo. Comigo não funciona.


Meu namorado é assim; conta piadas excelentes e algumas bem sem graça (ô coitado) rsrsr mas me divirto horrores. Canta mal, eu mais ainda, mas mesmo assim estamos sempre “soltando o som”, parodiando tudo e nos divertindo pra valer.


E ele tem a risada mais gostosa do mundo, quer diversão melhor?



Pois bem, eu me divirto assim e você?

segunda-feira, 8 de maio de 2017

"É diversão garantida!"

Tema: Me divirto
Por Laura Reis

É fácil me irritar, mas não é muito difícil me divertir não.

Eu, por exemplo, me divirto com coisas bem aleatórias como participar de conversas que vão acontecendo rapidamente e, de repente, se tornam apenas trocas de palavras e frases sem sentido - porque não necessariamente há um assunto a ser discutido, às vezes só há vontade de passar o tempo (que logo termina.. porque com esse tipo de coisa tem que ser mais vapt-vupt).*

Além dessa complicação de cima e ainda sobre falas, não há nada que me divirta mais do que quando, despretensiosamente, há troca de palavra ou aplicação de duplo sentido no meio das frases.

Aí também tem aqueles episódios de Friends, com Chandler e Joey juntos ou e aquelas de How i meet your mother que nos presenteiam com Barney mostrando suas fraquezas enquanto tenta escondê-las. E os vídeos de crianças maravilhosas rindo muito? Também ganham meu coração fácil, fácil.

Agoooora, diversão mermo, só reunindo à mesa os migo e a family para (além de fazer/comentar tudo isso dito anteriormente) jogar cartas, jogos de tabuleiro ou qualquer conversa fora.
Saudades. Vam, gente?





*na hora é divertido

quinta-feira, 27 de abril de 2017

Quero ver quem me conta essa...

Tema: do que me contaram
Por: Rosana Tibúrcio
No tempo em que eu era bem crédula: meados dos anos 70
Eu me recordo bem de quando me contaram que o mundo ia acabar no ano 2000 e que os casamentos durariam para sempre. Que existia alma penada; Papai Noel, não. Que o sal fazia mal; o doce alegrava. Que o trabalho enobrecia; o ócio arruinava. Que quem conta um conto aumenta um ponto e quem conta um conto também omite. Que homem que é homem não chora e que mulher deve ter compostura. Que em casa as obrigações são das mulheres e que os homens “ajudam”. Que meu voto era válido; que a constituição deveria ser respeitada. Foram tantas e tantas coisas que me contaram ao longo da minha vida; algumas procedentes outras nem tanto e todas elas não me serviram muito. Mas até agora não apareceu ninguém para me contar que, se eu continuar procurando, dá pra ser só feliz. E fazer!


Uma linda quinta-feira pra todos vocês, minhas gentes, pois nas quintas há sempre algo diferente no ar e hoje há divagações sem fim; o que não é nenhuma novidade. 

quarta-feira, 26 de abril de 2017

Tem tanta coisa

Tema: Do que me contaram
Por: Nina Reis




Tem muitas coisas boas
e outras nem tanto
 tem alguns desgostos
e também muito encanto

Tem grandes histórias
lembranças, recordações
tem tristezas, tem mágoas
e também tem ilusões

Tem algumas mentiras
muitos muitos segredos
alguns prefiro esquecer
tem os que remetem medos

Ouvidos bem atentos
coração bem preparado
sempre que me procuram
confiam de olhos fechados

Do que me contaram
tranquei a sete chaves
sou grata a todos
obrigada pela confiança



*Quem disse que o fim precisa rimar?

* pra quem chegou agora, entenda, quando tem rima, o final é sempre avacalhado. É isso!